voltar
Kart

Seletiva de Kart Petrobras: João Rosate domina e é o campeão de 2017

02 Nov 2017
kart petro (2)

Focado e determinado em todas as provas, o goiano João Rosate, de 17 anos, conquistou o título da 19a edição da Seletiva de Kart Petrobras, um dos principais eventos de apoio ao kartismo no Brasil. Depois de liderar o primeiro dia de disputas, na terça-feira (31), o piloto voltou a dominar a decisão desta quarta-feira (1o), quando foram realizadas a segunda eliminatória e as duas baterias finais no kartódromo da Granja Viana, em Cotia (SP).

Com o título, ele tornou-se o primeiro goiano campeão do evento e faturou o prêmio de 85 mil reais, somando o total de 46 pontos. O brasiliense Lucas Okada, de 17 anos, repetiu o resultado de 2016 e foi novamente vice-campeão (39 pontos), faturando 8 mil reais. Murilo Coletta, também de 17 anos, ficou em terceiro lugar (37) e Enzo Elias, de apenas 15 anos, foi o melhor estreante (29 pontos).

Como já participou do programa de orientação em 2016, pelo regulamento, Okada só poderia estar nas ações novamente se fosse campeão. Com isso, participarão do programa de orientação Rosate, Coletta e Elias. Na próxima semana, eles já terão um dia de acompanhamento físico e psicológico com o preparador Vanderlei Pereira e participarão de um media trainning e assistirão a uma palestra sobre marketing esportivo.

Na sequência, os pilotos viajam para a Europa para dois dias de testes (20 e 21) com a equipe DieGi Motorsport de Fórmula 4 na Itália. No dia 23, também na Itália, viverão um dia de experiência num simulador de Fórmula 1. Os pilotos ainda terão um teste com carros de turismo no Brasil, a ser definido.

A quarta-feira decisiva na Granja Viana começou com a segunda bateria eliminatória, com os pilotos divididos em dois grupos de seis. Rosate dominou em seu grupo e Okada venceu na outra bateria, garantindo suas vagas na final. Vinicius Ponce e Murilo Coletta, que terminaram em segundo em seus grupos, também passaram para a decisão. Enzo Elias ficou com a quinta vaga na final pela pontuação geral.

Os outros sete pilotos lutaram pela última vaga na repescagem e o gaúcho Arthur Leist dominou de ponta a ponta e carimbou seu passaporte para as corridas finais.

Na 1a Final, Rosate dominou as 16 voltas e abriu boa vantagem, para vencer novamente, seguido por Coletta, Okada e Ponce. Leist e Elias envolveram-se em um acidente e completaram apenas três voltas. Na 2a Final, Rosate novamente imprimiu ritmo forte e só perdeu na linha de chegada, quando foi superado por Coletta.

“Estou muito feliz por conquistar esse resultado e o título. Vim fazendo os melhores tempos logo nas primeiras tomadas de tempo, que é o que decide a Seletiva. Venci a duas primeiras classificatórias e a primeira final. Então para a final, eu não precisava vencer, era só uma questão de cálculos dos resultados para ganhar. O Murilo me passou, cheguei tranquilo em segundo e estou muito feliz. Nem arrisquei algo diferente, porque o importante, que é o título, já estava comigo”, comemorou o goiano, que já havia tentado o título em 2015, quando terminou em quinto lugar no geral.

“De 2015 para cá, acho que não mudou nada em questão de tempo ou performance, mas sim em entender as situações, os momentos decisivos da prova. Aprendi que você tem que ser o melhor piloto nos momentos certos”, continuou Rosate, que agora se prepara para usufruir da premiação.

“A viagem para Europa vai ser incrível, e só tenho que aprender mesmo. Vou andar de Fórmula 4 pela primeira vez, mais pela diversão de guiar um monoposto, do que qualquer coisa, porque meu objetivo é a Stock Car. E o dinheiro que é muita coisa. Metade vai para o meu mecânico e a outra metade vou comprar um simulador bem legal”, completou o piloto, que está correndo na categoria Sprint Race, onde lidera.

Okada lamentou a perda do título, mas não vai desistir e quer voltar para tentar em 2018. “Eu achei que poderia ter sido melhor, mas consegui o vice-campeonato de novo. O Rosate treina aqui, faz outras competições aqui, então está acostumado, e já tinha um ‘pé na frente’. Mas foi mais uma experiência que eu tenho e vou tentar ano que vem de novo. Tomara que dê tudo certo”, disse o piloto de Brasília.

“Fiz o programa o ano passado, então falo aos que vão participar esse ano para aproveitarem tudo. Conhecer o carro de F-4 Italiana, que é incrível, uma das principais categorias de fórmula de base. Que eles conheçam a cidade, que fiquem de olhos abertos para as oportunidades”, contou o piloto que em 2018 vai correr de F-3 Academy.

Outro veterano, Murilo Coletta – irmão de Marcel, campeão da Seletiva de Kart Petrobras no ano passado – festejou a chance de participar do programa de orientação. “Foi tudo bem positivo, mas infelizmente no primeiro dia não pontuei bem nas tomadas de tempo e, no segundo dia, eu estava super rápido, fiz voltas rápidas e venci a final. Estou bem feliz com o resultado e espero estar aqui no ano que vem de novo”, destacou o piloto que em 2015 terminou a Seletiva em 12o lugar.

“O teste com o Fórmula 4 me deixa bem emocionado. Se tudo der certo e se as coisas seguirem o rumo esperado, a Fórmula 4 é um caminho que pretendo seguir”, concluiu Murilo.

Melhor estreante, Elias também celebrou muito. “Estou feliz demais. Vim aqui em busca da ‘vaga’ entre os premiados no programa e consegui. Claro que a vitória seria ótimo, mas não deu. Era minha primeira vez e outros pilotos já tinham participado. Esse programa vai contar bastante para minha carreira. Espero voltar ano que vem para conquistar a vitória e o título”, declarou.

“O formato da Seletiva realmente é muito diferente, exige muito de nós, mas com certeza foi uma das melhores coisas que fiz até hoje. Acho que vai contar bastante o teste de Fórmula 4 e no simulador”, finalizou o melhor estreante da 19ª edição.

Para Binho Carcasci, organizador e idealizador da Seletiva de Kart Petrobras desde 1999, foi mais uma final emocionante e a sensação é de missão cumprida. “Foi mais uma grande final. Tivemos muitas variáveis por conta do clima, com chuva, muito frio e depois o sol abriu. Isso traz uma preocupação pra gente, porque temos que garantir que os equipamentos que oferecemos aos pilotos sejam sempre iguais, mas quando varia a condição, muda também essa possibilidade. Essa era a grande preocupação, mas no fim ficamos felizes que deu tudo certo”, disse.

“Vimos na última corrida que a diferença da melhor para a pior volta entre os seis que disputavam a bateria final não chegava a meio décimo. Estou certo de que os equipamentos funcionaram e o talento dos pilotos que sobrou. Especialmente aqui, além do talento, a experiência também contou. O Rosate que foi o campeão já fez final da Seletiva, correu muito tempo aqui na Granja, treina com motores iguais ao que usamos e ele acabou dominando a 19ª edição. O segundo e o terceiro colocados também são veteranos. Uma boa revelação e uma surpresa foi o Enzo Elias, em quarto lugar, e com isso conquistou o direito de aproveitar a premiação, de viajar com a gente para a Europa. Ficamos felizes com mais esse resultado”, analisou Carcasci.

kart petro (1)

Todos os resultados da Seletiva de Kart Petrobras 2017 estão no link: http://caradec.com.br/site/eventos2tab.asp?cmp=179&etp=553

Veja a pontuação final da Seletiva de Kart Petrobras:

  1. João Rosate (GO) – 46 pontos
    2. Lucas Okada (DF) – 39
    3. Murilo Coletta (SP) – 37
    4. Enzo Elias (DF) – 29
    5. Vinicius Ponce (SP) – 26
    6. Arthur Leist (RS) – 24
    7. Gabriel Paturle (MG) – 13
    8. Pedro Goulart (RS) – 13
    9. Edgar Bueno (PR) – 13
    10. Lucas Grosskopf (MG) -12
    11. Pedro Gurgacz (PR) – 8
    12. Sergio Crispim (PB) – 4

Os resultados das Baterias Finais:

Primeira Bateria
1° 2 João Rosate (GO) 16 voltas em 8min35s305
2° 3 Murilo Coletta (SP) a 1s138
3° 8 Lucas Okada (DF) a 2s179
4° 4 Vinicius Ponce (SP) a 2s648
5° 12 Enzo Elias (DF) a 13 voltas
6° 11 Arthur Leist (RS) a 13 voltas

Segunda Bateria
1° 3 Murilo Coletta (SP) 18 voltas em 9min35s777
2° 2 João Rosate (GO) a 0s059
3° 11 Arthur Leist (RS) a 0s288
4° 8 Lucas Okada (DF) a 1s544
5° 12 Enzo Elias (DF) a 1s860
6° 4 Vinicius Ponce (SP) a 2s548

Todos os campeões da Seletiva de Kart Petrobras:
1999 – Danilo Dirani (SP)

2000 – Júlio Campos (PR)

2001 – Sergio Jimenez (SP)

2002 – Rafael Daniel (SP)

2003 – Rafael Daniel (SP)

2004 – Rafael Daniel (SP)

2005 – Guilherme de Conto (PR) – Graduados A e Gabriel Dias (PR) – Graduados B

2006 – Guilherme de Conto (PR) – Graduados A e Felipe Guimarães (DF) – Graduados B

2007 – Rafael Suzuki (SP)

2008 – Leonardo Cordeiro (SP)

2009 – Jonathan Louis (PR)

2010 – Felipe Fraga (TO)

2011 – Felipe Guimarães (DF)

2012 – João Vieira (TO)

2013 – Olin Galli (RJ)

2014 – Pietro Rimbano (SP)

2015 – Vinicius Papareli (SP)

2016 – Marcel Coletta (SP)

2017 – João Rosate (GO)

Seletiva de Kart Petrobras – Criada em 1999, com o patrocínio da Petrobras, a Seletiva tem, em média, aproximadamente 110 pilotos tentando a vaga na final. Em 18 anos, mais de 200 já estiveram na briga pelo título na grande final.

Considerada uma referência entre os kartistas do Brasil, a Seletiva de Kart Petrobras é reconhecida (desde 2001) como evento oficial da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) e da Comissão Nacional de Kart (CNK).

Além da maior premiação em dinheiro do kartismo nacional, a Seletiva de Kart Petrobras contempla três competidores com a participação em um programa de orientação de pilotos, que inclui um teste com simulador de F-1 na Europa, um teste com monoposto de base também na Europa, com a orientação de um coaching, acompanhamento físico e psicológico, experiência com carros de turismo no Brasil, palestra sobre marketing e media training.

A premiação total – somando todas as ações – chega a aproximadamente 350 mil reais. O campeão recebe 85 mil reais em dinheiro e o vice-campeão 8 mil.

Os finalistas disputam o título com chassis fornecidos pela fabricante Bravar.

bannernewsracer

Parceiros

  • prime
  • astrus